HÁLITO AZUL

Captura de ecrã 2022-07-07, às 09.01.28.png

DISTOPIA DE TIAGO AFONSO PREMIAÇÕES

O documentário Distopia de Tiago Afonso foi premiado duplamente no DocLisboa 2021 com o prémio de melhor filme da competição portuguesa e também com o prémio Escola Etic também para melhor filme da competição Portuguesa. Na ultima edição do Porto Post Doc venceu o prémio Cinema falado.

listen sophia.jpeg

LISTEN PREMIADO NA DÉCIMA EDIÇÃO DOS PRÉMIOS SOPHIA 2021.

 

Listen de Ana Rocha de Sousa foi premiado pela Academia de Cinema Portuguesa com os prémios de:

Melhor Filme, Melhor Realização (Ana Rocha e Sousa), Melhor Argumento Original, Melhor Atriz Principal (Lúcia Moniz) e Melhor Atriz Secundária (Maisie Sly). 

AC2020_Fest080821_MagistralePhotocall_35080921-2048x1365.jpeg

A TÁVOLA DE ROCHA TEVE A SUA ESTREIA INTERNACIONAL NA 74ª EDIÇÃO DO FESTIVAL INTERNCIONAL DE LOCARNO 2021.


Estreou mundialmente no início de agosto no festival de Locarno, esta primeira longa-metragem de Samuel Barbosa explora o processo criativo de Paulo Rocha através dos seus filmes, das suas personagens, dos artistas com que trabalhou e de outros testemunhos da sua arte.

241098398_136427982022269_4573303357586100673_n.png

SYCORAX ESTREIA MUNDIAL NA QUINZAINE DES RÉALISATEURS EM CANNES 2021.

Um filme rodado nos Açores com Agustina Muñoz, Diana Diegues e Susana Abreu.

Uma co-produção Bando à Parte e Filmika Galaika.

Quem é Sycorax? O primeiro de todos os personagens de "A Tempestade" de William Shakespeare a pisar na ilha da peça. O problema é que Sycorax não tem voz. Ela mal é mencionada por Próspero como uma bruxa velha e perversa que vilmente prendeu Ariel, o espírito do ar, em uma árvore.

Mas por que ela trancaria Ariel numa árvore? Aqui, não acreditaríamos tanto em Próspero.

NOTÍCIAS

OBJECTOS DE LUZ UM DOCUMENTÁRIO DE MARIE CARRÉ E ACÁCIO DE ALMEIDA COM ESTREIA INTERNACIONAL NA 75ª EDIÇÃO DO FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE LOCARNO.

 

https://www.locarnofestival.ch/LFF/home

SINOPSE

A evocação da luz no cinema leva a Personagem do Homem da Luz a reflectir sobre ela, sua essência e as suas múltiplas manifestações numa revisitação a espaços geográficos e de memórias.

the garbage men.jpg

"O HOMEM DO LIXO" GALARDOADO DUPLAMENTE COM O GRANDE PRÉMIO DO JÚRI E DO PÚBLICO NA COMPETIÇÃO DE CURTAS METRAGENS NO ANIMAFEST ZAGREB.

Dois prémios para “O Homem do Lixo”, de Laura Goncalves, no Animafest Zagreb!

Em estreia internacional, a curta-metragem ganhou o Grande Prémio e o Prémio do Público para melhor curta-metragem no festival croata.

Statement do Júri da Grand Competition de Curtas-metragens: Muitas coisas nos impressionaram neste filme. O naturalismo do diálogo. O calor e a intimidade do ambiente familiar. Mas, acima de tudo, a ternura com que conta a sua história de generosidade no meio das dificuldades políticas e económicas em Portugal. E o macaco, também.

DISTOPIA_CARTAZ_v1.jpg
still_03.jpg

ELO DE ALEXANDRA RAMIRES RECEBE O GRANDE PRÉMIO DA COMPETIÇÃO DE CURTAS METRAGENS DE ANIMAÇÃO NA 56ª EDIÇÃO DO CHICAGO IFF.

A curta-metragem de animação da realizadora Alexandra Ramires, co-produzida pela Bando à Parte(Portugal) e a Providences (França), é animada a partir de desenhos em grafite e pó de grafite e explora o encontro de duas personagens que procuram adaptar-se na tentativa de se encaixarem em padrões instituídos. 

O júri, que atribuiu a “Elo” o “Gold Hugo”, o prémio mais importante da competição curtas-metragens de animação do festival, justifica a atribuição do prémio com as seguintes impressões: “Duas figuras vagueiam por uma paisagem, ou pré-histórica, ou pós-apocalíptica, são almas desligadas dos seus corpos corporais, de formas que só a animação pode visualizar. São talvez os únicos sobreviventes, mas a sua desconexão reflete também uma desconexão mais generalizada com a mente e o corpo, cérebro e coração, em que a humanidade vagueou.  Uma bela paleta invertida de preto e branco, atrai-nos imediatamente e uma grande quantidade de silêncio mantém-nos lá. Pela fusão perfeita de beleza e horror”.

Este é o primeiro filme a solo de Alexandra Ramires depois de ter co-realizado “Água Mole” com Laura Gonçalves. “Elo” foi exibido em competição no TIFF e recebeu o Prémio de Animação no Curtas Vila do Conde e o Grande Prémio no festival Animatou, na Suíça.